1.5.08

(in)útil II



Inútil... mas simplesmente belo
Dissipa-se em luz
Solene
E pouco mais que nada
Na iminente podridão
Que desafia
mas não morre exactamente
na medida em que vive
Contido no olhar

Há um cheiro de abismo
No segredo que este espaço encerra
Uma flor de solidão que brota
Enraizada num tempo suspenso

Etiquetas: , ,

18 Comments:

Blogger LNeves said...

Grande foto miuda :O

***MUAH***

7:30 da tarde  
Blogger (Un)Hapiness said...

escondemos tanto, mas às vezes suamos...ea aí, descobre-se...

kiss

9:12 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

h� um cheiro de abismo desafiado pela luz, que as ruinas n�o escondem na sua vergonha aflitiva, ao olhar melanc�lico do viajante solene.


JO�O Espectro*

10:50 da tarde  
Blogger nana said...

que saudade

de aqui vir



..


lindíssimo.


comme d'habitude.




x

9:40 da tarde  
Blogger nuvem said...

O que jamais é inútil é vir ao teu espaço... Entrei, saboreei as cores, as palavras, os sentidos... E saio sempre enriquecida. Obrigada.

Mil beijos

9:24 da tarde  
Blogger RC said...

O caos da roupa branca.

Xi.

10:40 da tarde  
Blogger verdades_e_poesia said...

«A solidão que brota das tábuas partidas...» Beijos

10:50 da manhã  
Blogger Maria José said...

Inútil mas que vagueia por aí. Algures. Falando. Secretamente. Abertamente.

10:01 da tarde  
Blogger gabriela r martins said...

depois de alguns dias de ausência
intensa mente vividos

o regresso tarda

mas volto

devagar

para vos respirar

em pleno

para vos guardar

em todo


tinha saudade
de vós

apesar dos outros rios
igual mente

belos


.
um beijo

11:33 da tarde  
Blogger mariazinha said...

há uma estranha serenidade nas paisagens de abandono... como se o lugar já não tivesse que provar nada a ninguém.

belo.

beijo*

12:47 da manhã  
Blogger Dantas said...

maneiro seu blog!
vamos nos linkar? :}

5:56 da manhã  
Blogger Chris said...

Sinto-me 'tão lá!!

Adoro mesmo as tuas fotos :)

um Beijo

11:02 da manhã  
Blogger Dalaila said...

inutil para quem não vê

2:41 da tarde  
Blogger tufa tau said...

tinha saudades
belíssimas fotos

estranho como a rudeza da imagem nos inspira calma. talvez a falta do imaginar movimento. tudo parou, menos o tempo. e a descontrução vai aumentando tão despreocupadamente que nem damos por ela.

abraço

10:13 da manhã  
Blogger Gi said...

sereno, traquilo, luminoso

convidativo ao abandono ...

deixar ir

constróis a partir de destroços


um beijo para ti

5:34 da tarde  
Blogger Pearl said...

Aplaudo...
A foto está mesmo excelente!
:o)))***

3:36 da tarde  
Blogger gabriela r martins said...

um bater de palmas em duplicado

excelência


.
um beijo

10:39 da tarde  
Blogger lupussignatus said...

o olhar

abre

janelas

de história



Abraço.

12:59 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home