16.9.07

sabor a cal



o que eu olho
até onde não sei
paira...

no ar
na sombra
de sulcos
e cal
do instante um caminho
sem pés nem boca
que suspende a palavra
...branca
dentro do espaço
fora do tempo

Etiquetas: ,

8 Comments:

Blogger Som Do Silêncio said...

Minha querida

Sem pés nem boca...

Que suspende a palavra...

Simplesmente uma combinação magistral de palavras.

Um Beijo Grandeeeeeeeeee

5:26 da tarde  
Blogger Zénite said...

A tarde e o céu
da cor da cal
caem inertes
sobre as casas.

e de novo
se erguem
pela luz sábia
das tuas palavras.


Bonito espaço.

Abraço.

10:01 da tarde  
Blogger Mustafa Şenalp said...

çok güzel bir site.

10:57 da manhã  
Blogger lampâda mervelha said...

Vivendo eu na eterna "vila branca".

1:21 da tarde  
Blogger Dalaila said...

Gosto muito!

Que nunca se suspendam estas palvras, que nem a cal esconde, que qualquer caminho abre, e assim saltamos do espaço onde estamos.

2:08 da tarde  
Blogger blue said...

Hello gira!
Adorei as fotos e gostei muito do texto.
Vou passar a visitar o teu blog com regularidade :)

Besos

4:29 da tarde  
Blogger Maria said...

Sabor a......
branco
fora do tempo....

Lindo!

5:05 da manhã  
Blogger U Ó Mãe Que Dava Pulos said...

Que saudades de Évora!
O teu espaço é muito bom e cá voltarei sempre que puder.

8:17 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home