16.1.08

moldam-se as marés



Escarpa
Que saboreia a espuma
Incansável
A marulhar…bravia

Que escuta as brisas que ateiam
Dias cálidos
a anunciar a vida renovada
Ciclicamente

No declinar de cada dia
moldam-se as marés
secando o ar
pouco a pouco
sedimento




Etiquetas:

41 Comments:

Blogger Maria Laura said...

Belíssima foto! Mas nem sempre é possível moldar as marés...

12:32 da tarde  
Blogger verdades_e_poesia said...

Olá Contornus! Tens aqui imagens interessantes como esta, e suponho que as fotos são da tua autoria, uma vez que estão etiquetadas com o teu nome. E esta foto foi onde? *

12:34 da tarde  
Blogger irneh said...

Linda, esta segunda foto!!
Adoro!!
O texto também está soberbo, muito bem conseguido!

Beijinhos

12:44 da tarde  
Blogger Noivo said...

o verdadeiro ciclo da vida

3:28 da tarde  
Blogger Nikita said...

Lindo... ;)
Mais palavras para quê?

Beijos!

5:26 da tarde  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

As fotos são lindas.O texto tb.

Deste me uma vontade de molhar os pes no mar.

bjo

6:26 da tarde  
Blogger Carol said...

Adorei as fotos. O texto prometo voltar para ler com a merecida atenção.
Obrigada pela visita ao meu cantinho. Espero que volte.

11:48 da tarde  
Blogger Bento said...

tenho saudades do mar...

9:03 da manhã  
Blogger Maria José said...

Moldando a escarpa, redesenhando os lugares, redimensionando os pensamentos.

11:28 da manhã  
Blogger sniqper ® said...

Em movimentos feitos de momentos, moldam-se vontades e pensamentos...

3:44 da tarde  
Blogger A estranha said...

Terra, ar, água e o fogo do olhar neste encontro!

Belíssimo...

***

3:39 da manhã  
Blogger MARIA MERCEDES said...

...bem gostaria de moldar as marés! E os ventos também! Na impossibilidade, velejamos atentos! Como na vida...

beijinhos nada anónimos

12:54 da tarde  
Blogger RedLightSpecial said...

Lindo!! O conceito de "moldar as marés" está simplesmente fabuloso!

1:55 da tarde  
Blogger Metamorfose said...

Renovam-se as marés, com elas vem a vida... Lindas as fotos. Beijo.

3:54 da tarde  
Blogger Doce Veneno said...

Ainda há bem pouco tempo estive neste preciso local a ver o mar perder-se por entre estes rochedos... Provavelmente a pensar em como poderia "moldar as marés" da minha vida....

Beijo

4:10 da tarde  
Blogger Carol said...

Adorei conhecer-te!

8:02 da tarde  
Blogger Som Do Silêncio © said...

Tudo ciclicamente moldado, pelas tuas palavras maravilhosas.
A vida é feita de marés, espero que a tua seja alta e assim continue minha querida
Um beijo doce

10:05 da tarde  
Blogger Marcela Bertoletti said...

Poxa, gostei muito do blog
seus poemas são lindos!

Um beijo

6:16 da tarde  
Blogger Kênia Garcia said...

Tal qual à nossa vida.

Beijos!

7:16 da tarde  
Blogger Peach said...

moldam-se as rochas, moldam-se as ondas do mar.... e moldam-se os espiritos.
beijo

10:49 da tarde  
Blogger rosasiventos said...

abro as mãos de vento e rosas


aos satélites sem rota



de par em par

12:20 da manhã  
Blogger K said...

Nada como as ondas do mar para chegar aos cêus...

11:32 da manhã  
Blogger ESPÍRITU said...

A luz que te deixo é da cor da minha vida...)

12:39 da tarde  
Blogger Joanne said...

Fotos fantasticas. Palavras brilhantes. boa semana*

8:33 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

uma imagem erótica À sempre sugestiva natureza:

o ar seca-se e renova-se ao bater da espuma sobre a rocha como as mãos que se tocam em leitos perfumados de ambrosia e amor inclemente.

vida renovada no seio do casal
água e rocha batida incesantemente

João*

9:27 da tarde  
Blogger mariazinha said...

Belo, como já nos habituaste.
:)
beijo*

9:39 da tarde  
Blogger Ela said...

rocha nua.

palavra despida.


e depois o mar.



_____/


Beijo,boa semana.

10:30 da tarde  
Blogger jumpman said...

Há medida que cada dia se degrada, tornamo-nos também como a água, moldando-nos a tudo. Por vezes somos ondas, que sem receio vão de encontro a obstáculos teoricamente inquebráveis.
Outras vezes simplesmente ficamos com a forma de algo que nos rodeia.

1:20 da manhã  
Blogger Martinha said...

foto linda, texto muito bom *
blog sem palavras... (:

2:09 da manhã  
Blogger JH said...

Gostei do que li aqui. obrigado pela visita. Vou passar a ser regular.

3:57 da tarde  
Blogger tufa tau said...

e as marés moldam as escarpas
sem mãos artesãs e sem roda de oleiro
igualam pedras a barrentas farpas
inundando-as, mantendo o muro inteiro

10:58 da tarde  
Blogger 7 Pecados Mortais said...

Tenho estado ausente nos comentários, mas não nas visitas.
Espero que a minha não participação, não vos impeça de me visitarem.
Tenho novidades no meu espaço e explico melhor a minha "ausência".
Cumprimentos Pecadores.

5:17 da manhã  
Blogger Sha said...

Agradeço e retribuo a visita.

Não conhecia o blog.
Não o vou esquecer, pelo que voltarei.

Bjocas
Sha

11:16 da manhã  
Blogger São said...

Foto bonita!
Saudações.

11:20 da manhã  
Blogger Spectrum said...

Já por aqui tenho andado e sempre temi interromper o silêncio. Porque te desnudas nas palavras; não são apenas contorNUS. esta escrita vem das entranhas. É bela.
Vou linkar-te.

11:20 da manhã  
Blogger Viajante pelos Sentidos said...

Poderemos moldar marés?
Mais provavelmente seremos nós,
tão duros como escarpas,
tão frágeis como uma estrela do mar,
a ser moldados por elas...

Fantásticas as fotos... mas estou verdadeiramente apaixonada por esta música... que grande viagem!

Um beijo viajante...

11:21 da manhã  
Blogger efeneto said...

Sobre o corpo das areias
Pelas marés
Lavadas
As pedras
Na solidão dos passos
Gravam
Desesperados sulcos.

Beijo de agradecimento pela visita.

11:27 da manhã  
Blogger tonsdeazul said...

E com a mudança das marés também eu encontro a minha serenidade...

9:47 da manhã  
Blogger lamia said...

...e vai-nos engolindo a alma, num degustar ávido, devolvendo-nos às raízes de nós.

3:54 da tarde  
Blogger Klatuu o embuçado said...

Gosto deste, traduz bem a atmosfera da coisa.

7:46 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

foto fantástica e excelente descrição!turtle

11:53 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home