8.12.07

viagem sem retorno



Subitamente,
com a solidão nos bolsos
Desalinho o caminho
Aceito a invasão
Que devora as pupilas
Irradia glamour

Um odor licoroso
Convida
A um efémero consolo
Entornado na música
Que embala o tempo imóvel

Coincidem trajectos
De Secretos desejos
e transportam no antigo rasto
que me devasta os sentidos
O delito lembrar

Porque se delonga a viagem?
Se nada retomará ao seu lugar passado

Morreu ontem o teu amanhã
Na certeza que já passa da hora

Hoje o nosso olhar retém apenas a memória





Etiquetas:

17 Comments:

Anonymous Jofre Alves said...

Visito com muito apreço este espaço, simpático, interessante e de qualidade. Mas como está configurado para receber somente os comentários do blogger e blogspot fica mais difícil deixar um comentário. Boa semana.
Jofre Alves
http://couramagazine.blogs.sapo.pt/

5:33 da manhã  
Blogger A Túlipa said...

A beleza material sem duvida...
talvez viagem seja ao mundo dos homens e o seu erdr na futilidad das coisas e perder nos mesmos trilhos.

não?

'

1:11 da tarde  
Blogger Bichinho said...

Também quero ir nesse luxo...beijo fantasma.

5:59 da tarde  
Blogger Sentir said...

Anacrônica que sou, acho até meio sexy a aerodinâmica de veículos assim.
A viagem será mais fantástica se for num conversível.

Até jazz!


Boa Semana.

10:21 da tarde  
Blogger mariazinha said...

glamour... as fotos e a música. Cole Porter na Voz de Ella. Perfect.
:)
beijo*

1:06 da manhã  
Blogger lampâda mervelha said...

Por antiguidades..

http://www.photoblog.com/lampadamervelha/2007/12/05/l-e-g-e-n-d-a-r-y.html

:)

10:55 da manhã  
Blogger Dalaila said...

As antiguidades do requinte e do bom gosto, que fazem das memórias passos para o futuro

2:09 da tarde  
Blogger Hyoma said...

Excelente contorno de palavras...Subtil e elegante.
Agradeço a partilha.

6:12 da tarde  
Blogger mnemosyne said...

Uma viagem traçada meticulosamente...as palavras pestanejam, estremecem...o papel sente...
:)

Um beijo

6:42 da tarde  
Blogger oskar said...

o olhar...realmente pouco imorta que para la do poligono do meu corpo...da malha apertada das palavras e do meu perfil de passaro curioso por td que e interessante...se nao existisse nada de paisagens so perceptiveis aos olhos de quem quiser olhar-me bem nos olhos....que so sao duros por se desconhecerem...frios...porque nao se querem ver...teras razao...ou talvez nao...bem fica o texto maravilhoso...gostei muito..

12:26 da manhã  
Blogger Pearl said...

A perfeição nas palavras, nas imagens!!!
:o)))***

11:22 da manhã  
Blogger O Profeta said...

Gostava de possuir um carro assim...gostava particularmente de ouvir-te ler este texto...


Doce beijo

1:00 da tarde  
Blogger un dress said...

one way trip


...


~

1:15 da tarde  
Blogger maria said...

obrigada pela visita.

1:54 da tarde  
Anonymous ela said...

Belíssimo...



Belíssimas palavras...
100 palavras.
__________________

Ah, e Ella Fitzgerald...


Lindo.


_________/

Beijo

9:07 da tarde  
Blogger 7 Pecados Mortais said...

Poderão estar estes "bébes" na memória passada de alguns, mas na minha não, pois adoro estes veículos. Tento no presente, não os lançar para recordações do passado. Beijos.

3:45 da manhã  
Blogger Sniqper ® said...

O génio que inventou a frase Recordar é viver, bem melhor fazia ter pensado e escrito que viver é Estar presente e enfrentar de frente o que a vida nos coloca no caminho, deixando para trás o passado, vivendo o presente e esquecendo o futuro, porque sobre esse muito ou pouco podemos fazer, tentar sim, programar é utopia.
Se enquanto vivos, o nosso olhar só navega na estrada da memória, pela certa que estamos a percorrer uma estrada que nos vai levar de volta ao passado.

11:14 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home