10.11.07

Esquecidos de mim





Assim tropeço
Dentro de cada gesto
Articulado
Estou eu
Órfã
Dentro de vós
esquecida

ao contrário do tempo
fio limiar
suspenso…cativo
que oferece as formas ao corpo
em jeito de atar um desígnio
corrompendo-o
o que de mim sei
traça disperso
em movimento vão

de perdidas falas

Etiquetas:

18 Comments:

Blogger irneh said...

Andas muito produtiva!! Linda música e poema dentro do género a que já nos habituaste.

Beijinhos

6:39 da tarde  
Blogger 7 Pecados Mortais said...

A sociedade evolui ao ponto de que se esquece como um simples boneco articulado nos faz rir e sonhar. Tão simples e tão belo os gestos destes artistas esquecidos pela evolução do homem. Quando se passa por eles e os vemos a actuar, dizemos: "olha, que lindo!", como se de tal fosse a primeira vez que os deslumbramos. Mas não! Ficamos esquecidos no tempo...pois eles sempre lá estiveram. Adorei. Beijos!

7:45 da tarde  
Blogger pedro said...

Adorei,a simplicidade do poema conjuntamente com a imagem a musica. Adorei mesmo
Bj

9:03 da tarde  
Blogger MH said...

Belo contorno :)

10:08 da tarde  
Blogger Bichinho said...

Beijo fantasma.

10:11 da tarde  
Blogger Sniqper ® said...

Como podemos compreender o nosso Eu. o nosso passado, o nosso presente, o valor que temos no espaço da amizade...
Interrogações necessárias, porque viver é perguntar PORQUÊ em cada segundo...
Sentir que existimos começa por acreditarmos no nosso valor,´sem isso viveremos numa vida eterna de SERÁ?...

1:18 da tarde  
Blogger O Profeta said...

Tu não escreves, pintas, e com um notável talento...


Doce beijo

2:44 da tarde  
Blogger Bandida said...

uma língua de fogo a movimentar as nuvens.

6:50 da tarde  
Blogger lupussignatus said...

Des(atar) as memórias...

7:06 da tarde  
Blogger lampâda mervelha said...

Encomendadas as vozes
aos falsários das horas
serão gastos, macios os espinhos
serão vastos, os arrepios aos meus olhos

são folhos, gotas e lágrimas
são dores, gritos e almas

fios que se rompem
teias que corrompem...

seremos?

9:50 da tarde  
Blogger Aesis said...

Ora... mais uma ondulação verbal bem personificada (de ti num dos meus entendimentos)

Mais uma imagem e um título desencadeador.

;)

11:56 da tarde  
Blogger mariazinha said...

como se cortam os fios?
*

12:55 da manhã  
Blogger Pearl said...

A evolução às vezes dexa a desejar, não é?

:o)))***

7:08 da manhã  
Blogger saudosista do futuro said...

a tropeçar que seja
sempre no gesto.

___________
_________________

1:15 da tarde  
Blogger Marla Singer said...

Este blog foi uma belissíma descoberta... :)
As imagens, as musicas, os textos... tudo repleto de bom gosto e sensibilidade.

Beijinho

2:03 da tarde  
Anonymous Vertigo said...

Sim,volta ;)

o gosto,também anda por aqui**

Beijinhos

6:14 da tarde  
Blogger PAULO SANTOS said...

descobri teu blogg no superbock...
vim espiar e gostei!
especialmente deste ultimo post.
Voltarei!

Um beijo e um convite a conheceres meu espaço

Paulo

4:20 da tarde  
Blogger Vera Carvalho said...

Quando somos marionetes todos os movimentos são vãos.Liberta os teus desígnios e eterniza-os no grito da tua escrita.
Um abraço.

10:22 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home