14.10.07

memórias oblíquas




Os olhos caem lentos
Assentam
Exactos
Onde se estendem
Memórias oblíquas
Num implícito sentido
Sussurram
Como metáforas


Em cada forma se desfaz
De um regresso impossível
Que não procura

À superfície tudo se revela
e… tudo se esconde

Etiquetas:

12 Comments:

Blogger sniqper © said...

"À superfície tudo se revela..."
...Um acto, um gesto, um olhar. Uma vida, um percurso, um rumo sem fundo.

8:45 da manhã  
Blogger vida de vidro said...

Em oblíquos olhares sussurramos interiormente memórias não reveladas. **

2:42 da tarde  
Blogger 7 Pecados Mortais said...

À superfície tudo se revela
e… tudo se esconde, sem dúvida. Tais telhados mostram à superfície o que por baixo deles escondem. Por vezes o que por fora é belo por dentro está podre, contudo numa harmonia oblíqua consegue-se desfrutar cores e formas que nos prendem para além do olhar. beijos.

4:44 da tarde  
Blogger Plum said...

Tudo se esconde...tudo se revela!
Excelente foto!***

8:22 da tarde  
Blogger Miss Lau said...

esta lindo
:)



gostei, vou passar mais vezes*

10:19 da tarde  
Anonymous Secreta said...

Tudo se revela , se assim o permitirmos.

11:24 da manhã  
Blogger mariazinha said...

todos os telhados são de vidro.

;)*

7:07 da tarde  
Blogger Dalaila said...

que as transparencias marquem a quem as vê...

7:38 da tarde  
Blogger Passageiro do Tempo said...

Um texto poético deslumbrante.... muitos parabéns!

9:34 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Parabens pela excelente escrita :)

beijinhos

Intimo Mistrio & Pequenita

www.intimomisterio.blogs.sapo.pt

10:59 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

oblíquo caminho de metáforas.


dançantes.


________________



belíssimo.




________________

/piano.

4:42 da tarde  
Blogger Som Do Silêncio said...

Deixei-me seduzir pelas tuas oblíquas matáforas.
Lentamente revelando o que se esconde...

Um Beijo Silencioso

9:38 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home