7.5.07

Silenciar


Na infíma penumbra,
Em algum momento é preciso cessar a palavra
Saber não dizer,
nem insinuar
nem questionar
nem reticenciar,
nem exclamar... usando a palavra.
Mergulhar,
resgatando ao tempo,
Calcando a negritude
e deixar que o oco faça eco.
E não se escute nada mais...
Apenas a paz do silêncio na densidade do vazio suspenso.

7 Comments:

Blogger Plum said...

Fico em silêncio e em paz***

8:40 da tarde  
Blogger serenidade said...

Simplesmente fantástico. Adorei esta forma, no meu ver, de se exprimir a magnificiência do silêncio, a sua maravilha quando não há palavras que consigam descrever o que vai alma. O que a mente não consegue explicar, a alma tem essa explicação e só com silêncio conseguimos alcançar essas razões que a alma tão bem conhece.

Serenos sorrisos

8:50 da tarde  
Blogger impulsos said...

Hoje escrevi algo assim num cantinho meu quase secreto:
"Há palavras que cortam...
Como o fio desta lâmina
Que entra na carne
Nas veias...
E provocam um jorro de sangue
E de lágrimas...
Matam aos poucos
... por dentro da alma!"
Por isso,há que saber silenciar certas palavras...

Beijo num impulso

12:17 da manhã  
Blogger Meinemliebe said...

... e se conseguissemos silenciar o eco dos nossos sonhos, que se perde pela negritude do oco...???
Mas tão belo e inspirador! Gostei muito. Um beijão

6:02 da tarde  
Blogger Once In a While said...

(retribuindo, grata, a sua visita) .. :)

Gostei. E poderia ficar por aqui. Mas o certo é que me encantou este arrumar de letras .. em silêncio :)

Voltarei *

6:53 da tarde  
Blogger AGRIDOCE said...

Vim a convite.
Não parei só no silenciar. Dei uma volta a todos os posts expostos.
Gostei.
O silêncio é uma parte dos diálogos que connosco travamos.
Voltarei.
Bjs

11:34 da tarde  
Blogger LuisElMau said...

já que comecei a comentar o teu blog, ainda agora, achei por bem voltar a comentar neste post de silêncios.

A foto está maravilhosa, brancos há tantos, e silêncios também.

9:28 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home