29.4.07

mel dos segredos





Diante dos olhos tonalidades primaveris.
Escuto o chamamento do vento,
que me nasce no pulsar da veias,
que me levará para junto de ti.

Pairo sem asas.
Avanço delicadamente,
numa necessidade gémea,
derramada para lá da vida.

Num voo selecto de véus,
presos à boca do vento
tacteando casulos de ouro
de sabor a eternidade.

O sol que ontem beijava tudo,
hoje entorna cristalinas gotas,
como lágrimas solidificadas
ganhando um travo a mentira.

O céu a tapar o rosto,
escondido na máscara ,
dos dias que renascerão,
…em sedução.

5 Comments:

Blogger Meinemliebe said...

Suave como o poisar de um pássaro,
delicado como uma pluma, misturado com uma brisa de tristeza foi o que achei do teu poema. Bonito. As fotos são excelentes. Adoro fotografar flores.
Também voltarei porque senti o que escreves.Até breve

10:43 da tarde  
Anonymous ventor said...

Olá!
Se há coisas lindas neste mundo, é a beleza com que a Natureza nos vai brindando sempre e que nem todos sabem apreciar como deveriam. Se tenho preferências por caminhar sob os auspícios do meu amigo Apolo, também, com o mesmo vigor (sempre que possível) caminho limpando as lágrimas que Neptuno vai vertendo sobre nós.
Vai aparecendo sempre que possas que eu farei o mesmo. Estarei sempre por aqui e espreitarei também pela tua janela imaginando-te declamar esses belos poemas.
Ventor,

6:46 da tarde  
Blogger Jose said...

Naveguei pelo teu blog, senti a calma das tuas palavras.
Belos poemas voltarei.

Um beijo


Jose

7:00 da tarde  
Blogger Plum said...

Quando o vento nos chama...e o sol nos beija!
*

8:44 da tarde  
Blogger Dias... said...

Gosto muito, parabéns.

4:11 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home