1.3.07

Cartas cheias de tudo ou de coisa nenhuma











Uma carta é um acto em desuso...

Com o advento das novas tecnologias (e-mail, telemóvel), colocar uma carta para alguém no marco do correio é um procedimento afastado dos hábitos do nosso quotidiano.


Uma carta tem sempre um destinatário. E quem a remete transmite um pouco de sim, um pouco de vida, um pouco de sentimento.


Uma carta, para quem a recebe, pode alterar o mundo, pode voltar a engrandecer-se depois, cada vez que a formos, de novo, buscá-la ao fundo da gaveta.

Uma carta pode sintetizar de tudo um pouco.

Recebe-la é um prazer cada vez mais raro.Enviar e e saber receber uma carta também é um acto de amor.


Receber uma carta é pormos, também, um pouco de nós em cada linha escrita, uma carta reescreve sempre a vida.

Uma Carta definiria como "Palavras Aladas".

Núcleo de Artes Plásticas

XIV Encontro Anual de Artistas Plásticos - Exposição / Instalação "Cartas cheias de tudo ou de coisa nenhuma"

2 Comments:

Blogger Plum said...

Concordo plenamente!Com as novas tecnologias perderam-se hábitos e maneiras de comunicar que davam muito mais de nós!e como é bom receber uma carta com o cheiro de quem a escreveu!!!!*

6:28 da tarde  
Blogger SentidoS said...

Um objecto, que no dias de hoje tende a cair para o obsoleto, ao insignifante, mas outrora muito importante. Adorei o conteúdo. Fizeste-me lembrar a importância de algumas coisas que tiveram, têem e ainda poderão ter. Um belo fim de semana.

Beijo Sentido

2:33 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home